quinta-feira, 16 de maio de 2013

Do que é isso de ser beirão #1

O ABeira-te vai desafiar algumas pessoas, das Beiras, ou com ligações a esta região, a escreverem sobre o que é afinal isso de ser beirão. A primeira convidada é a Marta Filipa Costa, autora do blogue Sorte de Principiante e da página Mau Humor. O olhar de uma jovem, de 20 anos, que nunca viveu senão em Viseu. 





O que é ser beirã?
Ser beirã é viver e ter nascido na região da Beira. Suponho, contudo, que a pergunta tenha tudo menos literalidade. Vou, por isso, tentar extrapolar-me um pouco e procurar dentro de mim o que me faz sentir beirã.

Quando se fala na região da Beira, é impossível não referir Viseu, a minha cidade. Estou no coração de Portugal, próxima de tudo. Fora do alcance fica apenas a confusão da capital, as planícies do Alentejo e os turistas do Algarve. Por outro lado, as praias de Aveiro e da Figueira da Foz estão a uma curta viagem, assim como a vizinha Espanha. Somos do norte, sem o extremismo do Porto, e possuímos a Serra da Estrela.

Deixando agora de parte a geografia, que me parece ainda um pouco literal, há uma grande história, que remonta aos tempos da Lusitânia, liderada por Viriato, incrustada na nossa região. Pouco cosmopolitas, somos fiéis a muitas tradições.

A ideia de que a Beira é recheada de pequenas aldeias, perdidas pelas encostas das serras, onde predomina a agricultura familiar e uma forte herança vinícola, é verdade e explorá-la sem destino é um pequeno prazer. Ainda no outro dia, descobri a Reserva Botânica de Cambarinho, que é uma das mais importantes concentrações de Loendros da Europa.

Somos conhecidos pela gastronomia dos queijos de cabra e ovelha da Serra, dos enchidos, do leitão da Bairrada e dos pratos à moda de Lafões. A religião ainda desempenha uma parte muito importante na vida dos beirões e uma pequena capela está sempre ao virar da esquina.

Grandes nomes estão igualmente ligados a nós, como o pintor Grão Vasco e António de Oliveira Salazar, assim como as marcas das empresas Visabeira e Licor Beirão. Este último lançou um slogan arrojado, na década de 60, que dizia “Licor Beirão – O Beirão de quem se gosta.”

Há muito para dizer sobre o que é ser beirã, mas nem tenho a certeza se é o que me faz sentir uma ou se é tudo uma questão de herança cultural. Sou-o no sangue, quer queira quer não. Ainda não tive oportunidade de viver noutro lugar, mas este berço que me acolhe é um lugar que está em mudança – rumo ao modernismo. Talvez as tradições se percam, mas não vou deixar de ser beirã.


Marta Filipa Costa

2 comentários: